To Be or Not to Be

To Be or Not to Be

Não existe MAU ou BOM político (política), esta expressão, tanto quanto Anarquia sofrem burla por parte de quem as utiliza — oral ou escrita — porquê, por todos os cantos e formas, quanto à primeira, força-se pluralização — acréscimo de “S”– e, impropriamente, adição (acompanhamento) de adjetivos — bom ou mau –, enquanto a segunda, impõe-se vinculação e/ou vinculação obrigatória à balburdia (desordem). Aproveito esta oportunidade, digo-te/vos ambos vocábulos (palavras), por si sós em suas altíssimas relevâncias e eficiências etimológicas, se utilizadas adequadamente, dispensam somatórias ou acompanhantes a formar compreensão dos seus sentidos. Ademais, esses ou aqueles, que, eventualmente, em nome da Política e/ou da Anarquia, praticam atos indecorosos, desonestos, injustos, não são merecedores dos títulos “políticos” e “anarquistas”.
Acaso haja dúvidas, consulte(m) enciclopédias confiáveis. (João S. Souza)