Independentes

Mês: Fevereiro 2021

MENTIRA PURA

O Brasil produzia 20% do consumo nacional de petróleo, dizia-se razão do alto preço da gasolina até décadas 1970/80. Agora, a produção igualmente ao gasto, culpa-se o Dólar.
João S. Souza

SURREALISMO, OU VEROSSÍMIL?/!

Confessadamente ignorante, em vários campos de atuação humana, especialmente quanto à FÍSICA, a ciência padrão, salvo engano, aplicada nas projeções e construções de astronaves.
Assim, autoexpositivo desconhecimento de causa, ou seja, alheio, tecnologicamente, às especificidades de constituição de espaçonave, além de estranheza relativa à instrumentação e, claro, respectiva operacionalidade, gênero e grau, correspondente a viagens espaciais, entretanto, suponho direito a externar inconformismo pessoal, in casu, sobre as chamadas missões (
idas e voltas) de sondas destinadas ao planeta Marte — divulgadas aos quatro cantos — por diferentes países, USA, China e Emirados Árabes.
Construções e lançamentos de naves espaciais operacionalizados mediante inúmeros especialíssimos indivíduos, inclusive e principalmente nas plataformas de lançamentos dos equipamentos ao “Espaço Sideral”, enquanto suas vindas, não importa de onde retornem com “materiais de amostras”, cujas anunciadas façanhas produzidas automaticamente, significa desnecessidade da participação ou presença humana nos mencionados locais planetários.
Sob concepção leiga, que dispensa menção a eventuais minúcias científicas, a perdurar a arguida dúvida acima!
João S. Souza

NADA IGUALÁVEL AO TEMPO

Certa feita, enquanto jovem, percorria os primeiros quarteirões centrais da Av. Olegário Marciel, em BH, ladeado por conviva que, à época, considerado meia-idade — observei-o demonstração de amargura n’alma –, dissera-me “amo somente meu cachorro”, que me causou espécie, isto, certamente, porque eu, até então, muito mais desconher as incontáveis especificidades da natureza humana, que, ora, o texto, a seguir, elucida, talvez, parte da afligente incognita, incluisive e principalmente presente décadas antecedentes à aparição do nosso miseraveis.com:
É comum ouvir críticas a quem trata cachorro como se fosse gente. Concordo plenamente!
Cachorro é cachorro, gente é gente.
Cachorro tem que ser tratado como cachorro – com respeito à sua fidelidade, ao seu caráter, ao seu amor e sua pureza.
Cachorro não finge, não trai, não julga, não mente.
Cachorro te ama pelo que você é, seja lá quem você for, milionário ou indigente.
Cachorro é emocionalmente inteligente, não guarda mágoas. Perdoa sem que você tenha que implorar perdão.
E, uma vez perdoado, o perdão é permanente.
Por que haveríamos de tratar um ser assim como se fosse gente?
Gente a gente também não deve tratar como cachorro.
Porque não é qualquer um que merece carinho na barriga, cafuné na orelha, demonstração de amor sem motivo aparente.
Gente não morde. Mas há outras formas de se cravar o dente, no coração, no bolso, na alma.
Por vezes com veneno de serpente.
Gente fofoca, calunia, te beija enquanto te inveja, e te odeia, sorridente.⠀
Cachorro obedece, respeita, se submete.
Gente ama com ressalvas, faz promessas que não cumpre.
Só cachorro (e uma ou outra mãe) é que ama incondicionalmente.
Por que tratar como cachorro – que fica ao seu lado até a morte – alguém que te abandona de repente?
É totalmente sem noção e incoerente tratar gente como se fosse cachorro – e tratar cachorro como se fosse gente.
Cachorro é um ser superior, em forma de amor que em qualquer circunstância, merece a nossa proteção.

Texto: Eduardo Afonso

INESCRUPULOSA GOVERNANÇA

IPVA (imposto sobre propriedade veículo automotor) em MG (4% sobre valor), portanto, o mais elevado entre as unidades da federação (igualmente a São Paulo), além da cobrança ilegítima da famigerada “taxa de licenciamento” (R$112,40), implantada no mandato de Itamar Franco e referendada pela Assembleia Legislativa, ou seja, há mais de 20 anos existe a distorção, assim, injustificada moral e legitimamente a imposição da referida taxação, muito menos aceitável a partir de 2020 porque SEQUER o DETRAN emite e envia pelos Correios a “renovação” do Certificado de Registro de Veículo, porque todos procedimentos (burocrático/técnico/intelectual e material) por conta e risco dos ditos cidadãos proprietários de tais equipamentos rodoviários.
Estado
(municípios/estados/União) explora, cerceia liberdade mediante tais leis (congresso nacional, assembleias legislativas/câmaras municipais), perante população, a garantir governança sobre contribuintes (mantenedores) complusórios, sem responder, minimamente, às demandas da chamada sociedade brasileira.
João S. Souza

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén