BESTIALIZAÇÃO

BESTIALIZAÇÃO

 João S. Souza

Aparição grandiosa de protagonista de asneiras (“explanações de palavrões“) situa-se na contramão da necessidade do POVO-TUPINIQUIM, que acumula, excessivamente, futilidades, enquanto sequer retém básico conhecimento necessário às pronúncias de desejos, realizações, satisfações, ou seja, infelizes seguidores de tolices improdutivas, quando não exclusivamente degenerativas, haja vista acolhimento mediante ‘pesquisa” de “peças” do gênero como a produzida por um ancião-indivíduo cujas língua e cabeça, suponho, poluídas por efeito do meio (ambiente), diga-se, gangrenoso.

O que se realiza com objetivo edificativo não merece atenção de quase ninguém, por exemplo, o site miseraveisindependentes.com, que experimenta isolamento, isto, para não falar noutras realizações mais trabalhosas, além de dispendiosas e arriscadas, tais  quais jornais, livros, músicas (algumas ilustram esta feitura) etc.