GALINHA e POPULAÇÃO

GALINHA e POPULAÇÃO

História no tempo consta que Hitler pediu que lhe trouxessem uma galinha; agarrou a “penosa”, com o animal imobilizado, desesperado e totalmente dominado, o tirano arrancou todas as suas penas, e dirigiu-se à plateia composta por seus colaboradores-governamentais: “doravante, observem o que acontecerá”, e Hitler soltou a galinha, afastou-se um pouco da ave, pegou um punhado de grãos de trigo, começou a caminhar pelo recinto e, a mesmo tempo, atirava poucos grãos ao chão enquanto observado, atentamente, pelos presentes que, assombrados, viam a galinha a sangrar, assustada e, claro, doloridamente, corria atrás de Hitler em busca de algumas migalhas do alimento e seguia, fielmente, os passos do seu tirturador. Hitler olhou para seus ajudantes e lhes disse:
“Assim, facilmente, governa-se estúpidos; viram como a galinha, apesar de eu impor-lhe o sofrimento, segue-me fielmente?
Tirei-lhe, brutalmente, todas suas penas e a ‘dignidade’, mas, ela, atrás dos farelos acompanha meus passos, portanto, é dessa maneira que as pessoas-governadas agem, fielmente, perante seus governantes, ditos políticos, apesar da evidente exploração desumana lhes impostas, tais como negações à assistência à saúde, à instrução e ao mínimo de dignidade, isto, por simples benefícios temporários como fornecimento de alimento e oferta de circo, o que bastam à população alienada, que demonstram-se eficazes desde o surgimento do Estado (governo)”.
REALIDADE, PRINCIPALMENTE NO BRASIL!