“M A U T R A T O”

“M A U T R A T O”

Há poucas décadas descamba (enlameia) o básico (fundamental) relativo à Língua Portuguesa, isto, graças ao seu mau uso que se fez  (e faz) regra a partir do “método” imposto por sistemas radiofônico e televisivo, assim, a população desconhece (incompreende) o primário (aprendizagem) escolar, como diferença entre os pronomes SEU e TEU.

Ilustração da mencionada situação à tona ‘exemplo’ seguinte:
“Empresário preocupado com um de seus brilhantes diretores, que depois de algum tempo na empresa sem sequer parar para almoçar, começou a ausentar-se horas, do meio-dia até às 14:00 horas.

O chefe contratou detetive e disse-lhe:

– siga o diretor Lopes por uma semana no horário do almoço.

Após cumprir o que lhe determinou dono da estabelecimento, o investigador retornou e informou ao contratante:

– diretor Lopes sai, normalmente, ao meio-dia, pega o seu carro, vai à sua casa almoçar e encontra com a sua mulher, fuma um dos seus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho.

Responde o Presidente da firma:

– Ah, bom! Não há nada de mal nesse comportamento.”

Depois, o detetive surpreso ante a atitude, imediatamente notou que o seu cliente não compreendera sua narrativa, e retorna dizer:
– senhor, eu falhei quando te transmiti as informações, assim, repetirei o relatório para o real entendimento:

o diretor Lopes sai, normalmente, ao meio-dia, pega o teu carro, vai à tua casa almoçar, encontra com a tua mulher, fuma um dos teus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho;

– agora, entendeste chefe?

– meu Deus, esse Lopes é traidor, tomarei cabíveis providências!”
João S. Souza